top of page
Post: Blog2 Post

Ação da PF desvenda esquema de corrupção no Sertão do estado


Agentes recolheram documentos (Foto: PF)

Nesta quarta-feira (78), a Polícia Federal iniciou uma operação visando investigar um suposto esquema de desvio de recursos públicos, corrupção, fraudes em licitações e lavagem de dinheiro. A ação, denominada Operação Ipuçaba II, tem como foco uma organização criminosa que opera principalmente em municípios do Sertão pernambucano.


Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, além da quebra de sigilo bancário e fiscal, e o sequestro de bens e valores dos investigados. A 27ª Vara da Justiça Federal em Ouricuri expediu mandados para cidades pernambucanas como Santa Filomena, Dormentes e Salgueiro, além de alvos em Ilhéus (BA) e São Luís (MA).


Esta segunda fase é um desdobramento de uma operação anterior, a Ipuçaba I, realizada em 2022. Na época, a ação incluiu mandados de prisão preventiva, busca e apreensão, e outras medidas cautelares contra agentes públicos e empresários suspeitos de envolvimento em desvios de recursos públicos federais destinados a uma prefeitura sertaneja.


Os recursos supostamente desviados estavam destinados ao custeio de serviços de transporte escolar e locação de veículos para a Secretaria de Saúde do município.


Na primeira etapa, deflagrada em 2 de dezembro de 2022, a Controladoria-Geral da União (CGU) e a PF investigaram crimes relacionados a licitações e aplicação de recursos públicos federais em Ouricuri (PE). Análises iniciais revelaram indícios de direcionamento, restrição à competitividade e prejuízo à transparência em processos licitatórios.


Empresas de grupos distintos foram identificadas revezando-se na prestação de serviços, o que levantou suspeitas de irregularidades na execução dos contratos. Os valores envolvidos, entre 2012 e 2021, ultrapassam os R$ 70 milhões. Além disso, investigações apontaram para possíveis pagamentos de vantagens indevidas a agentes públicos.


Nesta quarta-feira (78), a Polícia Federal iniciou uma operação visando investigar um suposto esquema de desvio de recursos públicos, corrupção, fraudes em licitações e lavagem de dinheiro. A ação, denominada Operação Ipuçaba II, tem como foco uma organização criminosa que opera principalmente em municípios do Sertão pernambucano.


Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, além da quebra de sigilo bancário e fiscal, e o sequestro de bens e valores dos investigados. A 27ª Vara da Justiça Federal em Ouricuri expediu mandados para cidades pernambucanas como Santa Filomena, Dormentes e Salgueiro, além de alvos em Ilhéus (BA) e São Luís (MA).


Esta segunda fase é um desdobramento de uma operação anterior, a Ipuçaba I, realizada em 2022. Na época, a ação incluiu mandados de prisão preventiva, busca e apreensão, e outras medidas cautelares contra agentes públicos e empresários suspeitos de envolvimento em desvios de recursos públicos federais destinados a uma prefeitura sertaneja.


Os recursos supostamente desviados estavam destinados ao custeio de serviços de transporte escolar e locação de veículos para a Secretaria de Saúde do município.

Na primeira etapa, deflagrada em 2 de dezembro de 2022, a Controladoria-Geral da União (CGU) e a PF investigaram crimes relacionados a licitações e aplicação de recursos públicos federais em Ouricuri (PE). Análises iniciais revelaram indícios de direcionamento, restrição à competitividade e prejuízo à transparência em processos licitatórios.


Empresas de grupos distintos foram identificadas revezando-se na prestação de serviços, o que levantou suspeitas de irregularidades na execução dos contratos. Os valores envolvidos, entre 2012 e 2021, ultrapassam os R$ 70 milhões. Além disso, investigações apontaram para possíveis pagamentos de vantagens indevidas a agentes públicos.


Nesta quarta-feira (78), a Polícia Federal iniciou uma operação visando investigar um suposto esquema de desvio de recursos públicos, corrupção, fraudes em licitações e lavagem de dinheiro. A ação, denominada Operação Ipuçaba II, tem como foco uma organização criminosa que opera principalmente em municípios do Sertão pernambucano.


Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, além da quebra de sigilo bancário e fiscal, e o sequestro de bens e valores dos investigados. A 27ª Vara da Justiça Federal em Ouricuri expediu mandados para cidades pernambucanas como Santa Filomena, Dormentes e Salgueiro, além de alvos em Ilhéus (BA) e São Luís (MA).


Esta segunda fase é um desdobramento de uma operação anterior, a Ipuçaba I, realizada em 2022. Na época, a ação incluiu mandados de prisão preventiva, busca e apreensão, e outras medidas cautelares contra agentes públicos e empresários suspeitos de envolvimento em desvios de recursos públicos federais destinados a uma prefeitura sertaneja.


Os recursos supostamente desviados estavam destinados ao custeio de serviços de transporte escolar e locação de veículos para a Secretaria de Saúde do município.


Na primeira etapa, deflagrada em 2 de dezembro de 2022, a Controladoria-Geral da União (CGU) e a PF investigaram crimes relacionados a licitações e aplicação de recursos públicos federais em Ouricuri (PE). Análises iniciais revelaram indícios de direcionamento, restrição à competitividade e prejuízo à transparência em processos licitatórios.


Empresas de grupos distintos foram identificadas revezando-se na prestação de serviços, o que levantou suspeitas de irregularidades na execução dos contratos. Os valores envolvidos, entre 2012 e 2021, ultrapassam os R$ 70 milhões. Além disso, investigações apontaram para possíveis pagamentos de vantagens indevidas a agentes públicos.

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page