top of page
Post: Blog2 Post

Brasil registra quase 4 milhões de casos prováveis de dengue em 2024


O Painel de Monitoramento das Arboviroses do Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira (25) que o Brasil registrou 3.852.901 casos prováveis de dengue nos primeiros quatro meses de 2024. Esse número é mais que o dobro dos casos prováveis identificados ao longo de todo o ano de 2023, que foram 1.649.144.




Além dos casos confirmados, os dados da pasta mostram que 1.792 óbitos foram confirmados por dengue este ano, e há ainda 2.216 mortes em investigação. O coeficiente de incidência da doença no país é atualmente de 1.897,4 casos por cada 100 mil habitantes. A letalidade em casos prováveis é de 0,05% e em casos de dengue grave, a letalidade é de 4,43%.


A faixa etária mais atingida pelos casos prováveis de dengue é a dos 20 aos 29 anos, seguida pelas faixas dos 30 aos 39 anos, dos 40 aos 49 anos e dos 50 aos 59 anos. As menos afetadas são crianças menores de 1 ano, seguidas por pessoas com 80 anos ou mais e crianças de 1 a 4 anos.


Quanto à distribuição por estados, Minas Gerais lidera com o maior número de casos prováveis de dengue, totalizando 1.167.056 casos. São Paulo vem em seguida com 927.065 casos, seguido por Paraná com 391.031 e Distrito Federal com 232.899 casos. Os estados com menor número de casos prováveis são Roraima (252), Sergipe (3.053), Amapá (4.480) e Rondônia (4.715).


Em relação ao coeficiente de incidência da doença por estado, o Distrito Federal apresenta o maior índice, com 8.267,4 casos por 100 mil habitantes. Minas Gerais vem em segundo lugar com 5.682,2 casos, seguido por Paraná com 3.417,1 e Espírito Santo com 2.994 casos por 100 mil habitantes. Os estados com menor coeficiente são Roraima (39,6), Ceará (109,3), Sergipe (138,2) e Maranhão (138,4).


A situação reforça a necessidade de intensificar as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, e de conscientização da população sobre a importância de medidas preventivas para evitar a proliferação da doença.


1 visualização0 comentário

Comentários


bottom of page