top of page
Post: Blog2 Post

Corpos encontrados em barco à deriva no Pará desafiam identificação



A descoberta macabra de corpos em avançado estado de decomposição em um barco à deriva no litoral paraense chocou a região de Salgado, nordeste do Pará. O achado sinistro foi feito por pescadores na manhã do último sábado (13), levando a uma operação de resgate que mobilizou diversas agências de segurança e resgate.


A Polícia Federal (PF), responsável pelas investigações, ainda não consegue determinar com precisão quantos corpos estavam na embarcação nem a nacionalidade dos envolvidos. "Até o momento, não é possível precisar o número de corpos na embarcação, nem fornecer indicativos da nacionalidade do barco e das pessoas a bordo", afirmou um representante da PF.


O resgate da embarcação e dos corpos foi uma operação complexa que durou horas. Uma embarcação da Marinha e um bote dos Bombeiros Militares de Bragança foram mobilizados, além de agentes da Guarda Municipal, Defesa Civil municipal, Polícia Científica do estado e Departamento Municipal de Mobilidade Urbana e Trânsito de Bragança. O esforço conjunto resultou na remoção da embarcação e dos corpos para terra firme, mais especificamente para o município de Bragança.


Agora, os corpos serão submetidos a exames no Instituto Médico Legal (IML) de Bragança, na tentativa de identificar as vítimas. "Após a remoção do barco, serão realizados os exames médico-legais e outros, visando à identificação de todas as vítimas, seguindo o protocolo internacional de Identificação de Vítimas de Desastres da Interpol (DVI)", informou a PF.


O protocolo em questão é crucial para identificar vítimas mesmo em avançado estado de decomposição. Utilizando técnicas como amostras de DNA, impressões digitais, características físicas, registros odontológicos e reconhecimento de objetos pessoais, as autoridades esperam poder dar nomes aos corpos encontrados.


Enquanto as investigações prosseguem, surgem relatos perturbadores sobre o ocorrido. Um vídeo, divulgado por habitantes locais, capturou o momento da descoberta do barco, sugerindo a presença de cerca de 20 corpos já em estado avançado de decomposição.


Diante da gravidade do caso, o Ministério Público Federal (MPF) no Pará anunciou a abertura de duas investigações. Uma delas foca em eventuais crimes cometidos e na responsabilização penal de autores, enquanto a outra concentra-se em questões de interesse público e na proteção de direitos que não necessariamente envolvem crimes.


Enquanto a identidade dos corpos e as circunstâncias desse trágico incidente ainda são um mistério, a comunidade local e as autoridades aguardam ansiosamente por respostas que ajudem a esclarecer esse terrível episódio.


2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page