top of page
Post: Blog2 Post

Empresário envolvido em acidente fatal é transferido para penitenciária de Tremembé, SP

O empresário Fernando Sastre de Andrade Filho, que estava sob custódia no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Guarulhos 2 desde terça-feira, foi transferido na madrugada deste sábado para a Penitenciária 2 de Tremembé, no interior de São Paulo. A unidade é conhecida por abrigar presos em casos de grande repercussão, como o ex-jogador Robinho.


Fernando, motorista do Porsche envolvido em um acidente fatal que resultou na morte de um homem e ferimentos em seu amigo, deu entrada na penitenciária por volta de 0h45, conforme apurou o g1. Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), ele ficará isolado dos demais presos em uma cela de cerca de oito metros quadrados durante o período de inclusão, que dura aproximadamente dez dias.


A transferência de Sastre já havia sido autorizada durante a semana pela Justiça, após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negar o habeas corpus solicitado por sua defesa. Embora o pedido de liberdade tenha sido recusado, a Justiça concordou com a necessidade de transferi-lo para um local mais seguro.

Os advogados de Fernando afirmaram que ele havia recebido ameaças durante a investigação policial, o que justificou a solicitação de sua transferência para a Penitenciária 2 de Tremembé. A defesa do empresário ressaltou que a medida é apenas o cumprimento da determinação do STJ, acolhendo o pleito dos advogados.


Fernando Sastre de Andrade Filho é réu em um processo no qual é acusado pelos crimes de homicídio por dolo eventual e lesão corporal gravíssima.

O acidente ocorreu quando ele dirigia o Porsche a uma velocidade de 114,8 km/h, colidindo na traseira do Renault Sandero de Ornaldo da Silva Viana, que veio a falecer, e ferindo gravemente seu amigo Marcus Vinicius Machado Rocha. O limite de velocidade na via era de 50 km/h.


Apesar de negar ter consumido bebidas alcoólicas, a Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, não realizou o teste do bafômetro em Fernando. A conduta dos agentes está sendo investigada pela Corregedoria da PM.

Caso seja condenado, Fernando enfrentará uma pena que pode ultrapassar 20 anos de prisão, evidenciando a gravidade dos crimes pelos quais está sendo acusado.

0 visualização0 comentário

Opmerkingen


bottom of page